• luminarea brasil

Dê Um Colo Para as Emoções

Em situações de risco ou qualquer ameaça externa, é natural que você se perceba envolvido por sentimentos de insegurança, ansiedade, apreensão, frustrações, raiva, medo, angústia…. ou até mesmo paralisia. Isso acontece aos humanos!

Mas como lidar com essas emoções desafiadoras?

Negar o que está sentindo só irá piorar as coisas. Culpar-se também não irá ajudar. Apelar a antidepressivos e ansiolíticos prematuramente também não é o caminho mais inteligente, porque (no médio e longo) prazo isso trará impactos indesejáveis e nocivos a saúde física e mental. Existem outras saídas… Uma delas é oferecer um 'colinho' para as emoções!!

O QUÊ? UM COLINHO??!!

Sim. Primeiro compreenda que muitas 'emoções difíceis' são parte do nosso “sistema de autoproteção". Essas emoções surgem em nós como mensageiras. São portadoras de um pedido de maior cuidado, maior cautela diante de um risco, um perigo anunciado ou percebido… É necessário compreender isso buscando distinguir quando o perigo é real, e quando é fruto da própria ‘ficção’ - ou seja, quando é ampliado pelos medos internos, alimentado na forma de pensamentos negativos. A melhor forma de se ajudar é acolher o que está sentindo, compreender o recado que as emoções trazem. E tranquilizar a mente.

Na constelação das emoções e pensamentos, realidade e ficção podem andar entrelaçadas dentro de nós, nas camadas mais íntimas da mente consciente e subconsciente. Muitas vezes, as emoções estão ali para lembrar que somos parte da família humana!!

Mas como posso lidar melhor com o que sinto??

Há muitos caminhos, mas a primeira regra é NUNCA NEGUE SUAS EMOÇÕES! Ganhe consciência do que está sentindo, dê um nome ao que está experimentando, e abra um espaço de diálogo interno, compassivo. Busque compreender o gatilho da emoção… o que foi frustrado? Qual a ameaça presente? Qual é o medo do momento? Pesquise dentro de você! Procure distinguir o que é o FATO daquilo que é a sua interpretação pessoal sobre o que está acontecendo. Talvez você possa descobrir que a emoção presente é uma resposta à uma perspectiva unilateral, um engano, um exagero…, ou uma reação a uma cadeia de pensamentos negativos que estão sendo alimentados pela mente. Observe, pesquise isso em si mesmo… E experimente oferecer um colo à emoção que está sentindo, antes de recorrer a algo externo ou a algum medicamento!

MAS COMO???

@derekthomson


Imagine o seu emocional assim: como uma criança assustada e carente! Tal como a criança, tudo o que as emoções negativas querem é sua atenção, para poderem te entregar um recado. Entenda que ela é sensível, e "mais perceptiva" que a mente. Ela percebeu algo que a provocou, assustou... Então, identifique cada emoção, e diga a ela(s) coisas que a(s) tranquilizem. Por exemplo:

“Ok querida, eu estou te vendo! já entendi o recado! …eu sei porque você está assim. Mas está tudo bem … estou aqui! Estou cuidando… os desafios do momento serão resolvidos. Vão passar. Tudo passa! Isso é só uma fase…, está tudo bem!!”

Ao saber que tem 'alguém' cuidando, seu sistema emocional pode se tranquilizar. Quem é esse alguém? Esse alguém é você!… é sua consciência!! Agora que as emoções foram ouvidas e a agitação pode cessar, sua autoconsciência pode orquestrar suas capacidades cognitivas para atuar em seu favor, resgatando sua atenção que estava presa em pensamentos desordenados que só servem para nos fazer perder foco e energia. A consciência é a "mãe" da criança, é quem ativa a inteligência, abre caminho para a ação criativa, e põe em movimento todos os outros recursos internos que estão disponíveis em você. Inclusive sua fé!!

Autoconsciência. Estamos num tempo muito propício para investir nesse caminho. Vale a pena!!!

#autoconhecimento #resiliência #saúdeemocional #mindfulness #autoconexão #comunicaçãointrapessoal #autocnv #luminárea

Posts recentes

Ver tudo